iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

"Se você não pode dizer o que pensa, em breve você não será capaz de pensar" J. Peterson

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Em azul, a definição de mulher (female): ter a identidade de gênero que é oposta à do sexo masculino.


Pensei que o Webster fosse redefinir o termo “mulher” e dai dizer que mulher e sexo feminino não são necessariamente a mesma coisa ( que é o que o culto trans vêm alegando, incoerentemente, há anos). Mas eles foram direto para a reescrita mais extrema, realmente mudando a definição biológica de mulher.

Matt Walsh

Não é função do dicionário decidir o significado das palavras, mas apenas registrar o uso que os falantes, em acordo tácito, fazem dela a fim de se comunicarem. Mas há alguns anos o Merriam-Webster vem usando a sua “palavra do dia” para fazer declarações politicamente corretas, nem que seja apenas com a escolha das imagens que ilustram o verbete.

A definição é ineficaz porque se baseia em uma dicotomia, e não no leque que os apologistas da ideologia de gênero afirmam existir. Ao definir feminino em termos da relação de oposição a masculino, o Merriam-Webster cai numa definição circular, o que torna os dicionários irrelevantes.

O oposto de Masculino é o oposto de Feminino é o oposto de Masculino…
Tuite de RabbiDoots

Comentário na thread de Matt Walsh:

Bom, é claro que isso aconteceria. A sociedade está sendo forçada a mimar uma certa comunidade que nega a realidade. O próximo e único passo lógico para entrar no vórtice do retraimento é redefinir as palavras. Você tem que fazer isso a fim de dar sentido ao absurdo.

Sdlp [email protected]
Você não percebe que todo o objetivo da novilíngua é estreitar a gama de pensamentos? No final tornaremos o crime de pensamento literalmente impossível, porque não haverão palavras nas quais expressá-lo. Cada conceito que for necessário será expresso por exatamente uma palavra. A revolução estará completa quando a linguagem for perfeita.

“… um pensamento divergente dos princípios do Ingsoc [socialismo inglês] deve ser literalmente impensável, pelo menos na medida em que o pensamento é dependente de palavras.”

Cerca de cem anos antes de George Orwell desenvolver o pensamento acima, Abraham Lincoln, tornara famoso o conceito de que as palavras definem significados, os quais não podem ser mudados arbitrariamente:

Ao discutir a questão, ele costumava comparar o caso ao do menino que, quando lhe perguntaram quantas pernas seu bezerro teria se ele chamasse o rabo do bezerro de perna, respondeu: “Cinco”, ao qual a resposta imediata foi que chamar o rabo de perna não o transforma em perna.

Reminiscências de Abraham Lincoln por homens ilustres de seu tempo / coletadas e editadas por Allen Thorndike Rice

Douglas Kellner explica:

O objetivo da Novilíngua é estreitar o alcance do pensamento para que um indivíduo não possa sequer ter pensamentos críticos ou subversivos. Termos potencialmente críticos como “liberdade” são formalmente definidos em seus opostos conceituais (“liberdade é escravidão”), ou são simplesmente eliminados do dicionário e da linguagem cotidiana. Dessa forma, a linguagem crítica definharia à medida que o número de palavras que permitem a diferenciação e a crítica fosse cada vez mais reduzido.


Imagem:
Desenhando, por Maurits Cornelis Escher.
Imagem do catálogo da exposição O Mundo Mágico de Escher, do Centro Cultural Banco do Brasil, página 73.
As obras em questão pertencem ao Acervo Gemeentemuseum, Haia, Holanda.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Psicanálise
Editorial

20 Anos de Fraude na Pesquisa de Alzheimer

O neurocientista​ e médico, Matthew Schrag, identificou dezenas imagens de dados aparentemente alteradas ou duplicadas​. Sua descoberta ameaça um dos estudos de Alzheimer mais citados deste século e

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.