iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site: .
Autoria do texto: .
Data de Publicação: .
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A ideologia de todos os lados direcionou os cuidados, em vez de os cuidados serem dirigidos pelos princípios normais da pediatria e da saúde mental.

Hilary Cass, pediatra ​, ex-president​e do The Royal College of Paediatrics and Child Health

Hilary Cass fez uma revisão histórica, de mais de três anos, sobre o tratamento de crianças transexuais, produzindo um relatório de 388 páginas, que desmonta completamente os argumentos a favor de procedimentos invasivos e irreversíveis em crianças com confusão de gênero.

É a revisão mais robusta e metódica das evidências médicas sobre transições de género já realizada e prova o que muitos de nós temos afirmado há anos: que os chamados cuidados de afirmação de género para crianças carecem de provas de apoio, têm consequências para toda a vida e está enraizado numa ideologia nociva que também não se importa.

O relatório chega mesmo a alertar contra as crianças em transição social, observando que incentivar as crianças impressionáveis a adoptarem uma identidade inteiramente nova é uma “intervenção ativa” que torna um paciente “mais propenso a prosseguir para um caminho médico” do qual não há retorno. E, como observou Cass, a grande maioria das crianças que expressam confusão sobre o seu género são influenciadas por “fatores sociais”, bem como por fatores “biológicos” e “psicológicos”, que fazem parte da maior crise de saúde mental que assola a juventude de hoje. Há também o fato inegável de que a maioria das crianças supera a confusão de género se forem deixadas a amadurecer sem intervenção.

A revisão de Cass descobriu que todo um campo da medicina destinado a permitir que as crianças mudem de gênero foi “construído sobre fundações instáveis” e apoiado por “evidências notavelmente fracas”. Ela descobriu que não havia boas evidências para apoiar a prática clínica global de prescrever hormônios para menores de 18 anos para pausar a puberdade ou a transição para o sexo oposto. Muitos dos estudos citados como prova de afirmação “são exagerados ou deturpados”.

O Serviço de Desenvolvimento de Identidade (Gids) da Clínica o Tavistock recebeu ordem de fechar depois que o relatório de Cass descobriu que “não era uma opção segura ou viável a longo prazo”.

Críticas

Cass enfrentou desafios durante sua revisão sobre bloqueadores da puberdade e hormônios sexuais, já que seis clínicas recusaram a cooperação, dificultando a coleta de dados. A clínica de Tavistock reteve informações sobre detransitioners [pacientes que reverteram a transição], impedindo os esforços de avaliação de risco. Cass expressou desapontamento com a falta de cooperação clínica.

 Cass respondeu aos críticos, expressando frustração e descartando suas alegações como desinformação e completamente imprecisas, enquanto eles tentam minar um relatório que analisou as evidências de saúde infantil. Diz a doutora, de 66 anos :

“O que me assusta é o quão infantil o debate pode se tornar. Se eu não concordo com alguém, então eu sou chamado transfóbico ou um Terf [trans-excludente feminista radical].”

Infelizmente, é mais provável que as descobertas de Cass encontrem resistência do que aceitação. Na verdade, Cass revelou que seis das sete clínicas de género para adultos no Reino Unido obstruíram o seu aprofundamento nas evidências ao conspirarem para lhe ocultar dados. E, claro, os suspeitos do costume já estão acusando Cass e aqueles que optam por seguir suas descobertas de colocar em risco a vida de jovens transexuais – outra mentira que espero que Cass decida enfrentar a seguir.

Conclusão

Independentemente das críticas, a ciência é clara. “Cuidados de afirmação de género” são uma abordagem falhada e sem evidências que produz resultados esmagadoramente prejudiciais. E aqueles que continuam a pressionar os nossos filhos serão lembrados não apenas por defenderem uma pseudociência semelhante a um culto, mas também por se envolverem em negligência médica flagrante que arruinou inúmeras vidas.

A conclusão de Cass é que os profissionais médicos devem ter “extrema cautela” ao prescrever tratamentos físicos e hormonais para menores de 18 anos e, em vez disso, devem recomendar uma “avaliação holística” que leve em consideração o bem-estar mental de cada criança, a condição de neurodesenvolvimento e ambiente social. 

Leia e tire a conclusão apropriada. Os monstros sob as rochas ficam extremamente irritados com a verdade. Porque a verdade é realmente uma fera cruel quando se trata de mutilação e esterilização de crianças.

JK Rowling, autora de Harry Potter, sobre a perseguição à doutora Cass:

A conceituada pediatra, que conduziu a revisão mais completa já realizada sobre as evidências médicas para crianças com confusão de género em transição, foi aconselhada a não viajar em transportes públicos para sua própria segurança. 1/3

Mentiras descaradas sobre sua crítica continuam a se espalhar, não apenas na atmosfera febril das redes sociais, mas por parte de pessoas supostamente responsáveis, como @DawnButlerBrent. Cass diz que é “imperdoável” que as pessoas prejudiquem o seu relatório, espalhando “desinformação pura e simples”. 2/3

‘Siga o dinheiro’ pode ser um tropo dos teóricos da conspiração e eu odeio o clichê X ‘ponha isso na cabeça’, mas quando uma pediatra respeitada é aconselhado a não viajar de ônibus e quando grupos de lobby se atropelam para desacreditar uma revisão médica meticulosa , ambos podem parecer aplicáveis. 3/X

Quem me esterlizou?

“Eu não.”, disseram meus pais.
“Nós só queríamos que você fosse feliz.”

“Eu não.”, disse a professora.
“Eu só estava seguindo ordens.”

“Eu não.”, disse o terapeuta.
“Eu só estava afirmando os seus sentimentos.”

“Eu não.”, disse o médico.
“Eu só estava deixando o paciente liderar.”

“Eu não.”, disse o endocrinologista.
“Eu não faço os medicamentos.”

“Eu não.”, disse o político.
“Os eleitores determinam as políticas.”

“Eu não.”, disse o jornalista.
“Os editores tomam as decisões.”

“Eu não.”, disse o superstar.
“Eu só estava comemorando a sua coragem.”

“Eu não.”, disse o gigante da mídia.
“O mercado decide.”

“Eu não.”, disse o banqueiro.
“Eu estava apenas seguindo o dinheiro.”

“Eu não.”, disse a empresa farmacêutica.
“Eu apenas faço os medicamentos.”

O céu está caindo.

Imagem:
Micah Williams, via Unsplash.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Psicanálise
Editorial

Fé Racional

Bizarro, da parte de Dawkins, que escreveu um livro chamado “Deus, um Delírio”, em que alegava que a religião era uma força profundamente malévola e

Leia Mais »
Psicanálise
Editorial

Jordan Peterson Desagravado

As pessoas riram quando Jordan Peterson disse que as feministas estão do lado do Islã radical porque as elas têm um desejo inconsciente de dominação

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *