iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

A amaça real é a falta de acesso a serviços de saúde

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Por Penny Starr. Leia o artigo completo no Breitbart.

É o medo, e não o vírus, que está levando a resultados perigosos e mortais à saúde, desde crianças tendo suas vacinas de rotina atrasádas até pessoas com doenças graves, como doenças cardíacas e depressão, ficando em casa em vez de procurar ajuda.

“Eu simplesmente sinto que há uma grande desconexão entre o que o americano médio pensa que está acontecendo e o que realmente está acontecendo”, disse Simone Gold, médica do pronto-socorro.

Um psiquiatra especializado em psiquiatria infantil e adolescente, disse que, pela primeira vez em seus dez anos de prática, perdeu um paciente. A mulher, que sofria de depressão e lutava contra o vício em drogas, morreu em casa sozinha devido a uma overdose de opióides:

“Estou certo de que a causa de sua morte foi devido a uma privação do apoio na comunidade, e a impossibilidade de estar na escola, sua incapacidade de lidar com o estresse adicional”.

MÍDIA ESPALHA O MEDO

O medo de morrer com o vírus está sendo fomentado pela mídia, disseram os médicos.

O dr Steven Giannotta diz:

Eles [a mídia] fornecem duas estatísticas todas as vezes -abrem o noticiário com o número de pessoas que deram positivo para o COVID e imediatamente em seguida, o número de pessoas que morreram com o COVID, fazendo, infelizmente, na mente do espectador, um nexo entre a COVID positividade e a morte.

Isso estigmatizou nosso sistema de saúde e as pessoas têm medo de acessar o sistema por medo de se tornarem COVID positivas, como se esse fosse o pior resultado possível.

Mas, de fato, é muito mais perigoso ficar em casa se você tiver uma condição séria de saúde que precise de tratamento regular, disse Giannotta.

Robert Hamilton, pediatra, disse que a quarentena também está prejudicando os jovens que estão perdendo tempo social com os amigos e a estrutura da sala de aula, à medida que as escolas continuam fechadas.

Ele alertou sobre “o prejuízo emocional e social que isso está causando às crianças que estão presas por esse período de tempo”.

“Questões de depressão, suicídio, estresse, essa sensação de futilidade, desespero, medo e paranoia realmente estão tomando conta de nossos jovens”, disse Hamilton.

PERIGOS DA QUARENTENA

Além disso, os médicos concordam que, embora a quarentena inicial, por algumas semanas ou mais, fosse sensata, as restrições em andamento não estão apenas ajudando a impedir a propagação dda doença, mas estão atrasando o curso inevitável deste e de muitos outros vírus. 

Jeffrey Barke disse: […]Mas temos exemplos de infecções virais respiratórias passadas em que conseguimos atingir um nível de imunidade do rebanho para proteger os mais vulneráveis”.

“Para cada criança e jovem adulto que está trancado em ambientes fechados e não podem ser expostos ao vírus quando eles, majoritariamente, se saem bem, especialmente se você tem menos de 40 ou 50 anos, é uma pessoa a menos a atingir esse nível imunidade de rebanho ”, disse Barke. Ele continuou:

Mesmo se não atingirmos os 60, 70 ou 80 por cento de imunidade recomendados na população – mesmo que apenas atinjam 30 ou 40 por cento – isso é 30 ou 40 por cento de americanos que estão expostos, que estão imunes e não espalham mais o vírus e, de alguma forma, são capazes de proteger os mais vulneráveis. 

Portanto, a realidade é que já passamos do tempo em que ficar trancado faz algum sentido científico ou médico. Estamos pegando as pessoas mais saudáveis ​​- as mais jovens, as mais fortes, nossas crianças – e, de fato, estamos protegendo o rebanho mais saudável de se expor e assim permitir que adquiram imunidade de rebanho.

Portanto, essa ideia de que, de alguma forma, temos que esperar uma vacinação ou uma cura para esse vírus para abrir escolas simplesmente não faz sentido científico.

“Na minha opinião, esta é uma pandemia de histeria e sobrecarga emocional”, disse McDonald. “Além de uma pandemia médica. E as conseqüências a jusante medicamente falando são muito, muito graves”, disse McDonald.

EDUCAR PÚBLICO E LÍDERES

“Existem mais de um milhão de médicos licenciados neste país”, afirma o site. “Você realmente acredita que há apenas uma opinião? Milhares de médicos têm algo a lhe dizer. Os Estados Unidos precisam de uma segunda opinião”, diz o Tea Party Patriots Action.

A carta também dizia, em parte:

Estamos alarmados com o que parece ser a falta de consideração pela saúde futura de nossos pacientes. Os efeitos de deterioração de um nível na saúde a jusante estão sendo subestimados e subnotificados. Este é um erro de ordem de magnitude. 

É impossível exagerar os danos a curto, médio e longo prazo à saúde das pessoas com um desligamento contínuo. Perder um emprego é um dos eventos mais estressantes da vida, e o efeito na saúde de uma pessoa não diminui, porque também aconteceu com 30 milhões de outras pessoas. Manter escolas e universidades fechadas é incalculavelmente prejudicial para crianças, adolescentes e jovens adultos nas próximas décadas. 

Os milhões de vítimas de um desligamento contínuo estarão escondidos à vista de todos, mas serão chamados de alcoolismo, falta de moradia, suicídio, ataque cardíaco, derrame ou insuficiência renal. Nos jovens, isso será chamado de instabilidade financeira, desemprego, desespero, dependência de drogas, gravidez não planejada, pobreza e abuso. 

Como o dano é difuso, há quem defenda que ele não existe. Nós, abaixo-assinados, sabemos o contrário. 

PREJUDICANDO TRABALHADORES DA LINHA DE FRENTE

“Médicos de emergência reduziram suas horas em 35%”, disse Gold.

Ela disse que seu hospital demitiu 50% de seus técnicos.

“Nunca vi nada parecido em minha carreira”, disse ela.

Além disso, os médicos disseram que reabrir o país não é tão difícil quanto alguns diriam se os protocolos de “bom senso” fossem seguidos. E isso não inclui uso obrigatório de máscara ou distanciamento social.

Scott Barbour, cirurgião ortopédico: “Não há dados científicos para apoiar o distanciamento social”.

Um repórter que sugeriu que associar-se ao Tea Party tem interesse político. Os médicos responderam que associaram-se à organização porque ela luta pela liberdade de cuidados de saúde e pela importância da relação paciente / médico.

“Estamos basicamente fartos e cansados ​​da politização do nosso campo da saúde”, disse Barke. “Nós simplesmente queremos cuidar dos pacientes.”

“Milhares e milhares de médicos em todo o país que querem nada mais do que voltar ao trabalho para cuidar de seus pacientes e fornecer os melhores cuidados de saúde possíveis”, disse Barker. “Queremos tirar a política dos cuidados de saúde e voltar à arte de cuidar dos pacientes mais uma vez.”

Siga Penny Starr no Twitter

Foto:
Dr Anthony Fauci, que determinou o uso de máscaras contra o vírus chinês.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Psicanálise

O que Guia a Sociedade.

O perfil verificado da Turma da Mônica deu a entender – via Twitter – que Felipe Neto pode virar personagem de gibi. A palhaçada não

Leia Mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *