iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Leia também: Seus Sentimentos Mentem para Você: 11 Anos Sendo Homem.

​”​Mesmo antes de entrar no jardim de infância, lembro-me de fingir andar de triciclo até a casa da minha namorada imaginária. Mas eu não podia contar a ninguém sobre ela – as meninas não deveriam gostar de meninos? Um segredo ainda mais profundo era meu forte desejo de me tornar um garotinho.​”​

“Com quatro anos, eu tinha o desejo de viver quando menino. Enquanto eu continuava crescendo, o desejo nunca me deixou, ficava mais forte.”
Duncan brigava com a mãe quando ela queria lhe colocar vestidos:
 “Eu chorava, chutava e gritava.”

A vida familiar era disfuncional.​ O pai abusava emocional e verbalmente da mãe e era desconectado da família. ​A mãe, por outro lado, estava continuamente procurando nutrir​ a filha​. 

Ao testemunhar o abuso pelos olhos de uma criança, ela concluiu que as mulheres são odiadas, fracas e vulneráveis​: Ah meu Deus, eu não quero crescer e ser tratado assim”.

Quando ela tinha sete anos, um irmãozinho apareceu. “Eu via meu pai adorá-lo. Isso me deu outra mensagem de que, para ganhar afeto e afirmação, eu tinha que ser um menino.” Ela achava que os homens eram superiores, e um menino poderia facilmente substituir uma garota nos afetos de seu pai.

No 2º grau, dançava com garotas. ​Seu cabelo era bem curto. E​la não tinha​ se​ desenvolvido muito. Não precisava ​se esconder muito.

​Quando cresc​eu, sofreu abuso sexual, o que ​a deixou isola​da porque não tinha com quem conversar. O desejo de ​se tornar menino ardeu ainda mais.  

 ​”​Quando fiquei mais velha, comecei a viver uma vida dupla. Onde quer que eu não fosse conhecida como garota, fingia ser um cara. E se alguém dissesse: “Eu pensei que você era uma garota”, eu mentiria e diria: “Era é minha irmã gêmea” (ou irmão, dependendo das circunstâncias). Ao longo desta vida dupla, tive namoradas. Era difícil viver assim, e o desejo de me tornar um homem estava me consumindo.”

Aos 19 anos, ela s​ai​u de casa e decidiu viver como um homem trans. Inici​ou a terapia hormonal masculina e ficou muito animada. ​”​Lembro-me de pensar: Agora estou livre, agora estou complet​a​”. Para completar a transformação, ela fez uma mastectomia dupla,   

​”​Mudei meu nome para Keith. ​Fui viver com uma família. Eu sabia sobre Deus, mas realmente não conhecia Deus. Antes, eu pensava que Deus estava sempre longe. ​Mas quando eles fala​v​am sobre ​Jesus, ​para eles ​ele estava​ ​ sempre conosco. A filha mais velha me convidou para a igreja. Eu não estava interessada, mas por insistência dela, fui. Havia algo por que eu ansiava, embora não pudesse descrevê-lo.​ Durante um culto, houve um chamado ao altar. Eu queria a mudança de vida sobre a qual o pastor falava, então fui à frente.”

 Ela esperava um resultado dramático após sua conversão. Deus a instruiria a mudar seu estilo de vida? Ele a julgaria severamente?

“ Na manhã seguinte, acordei esperando me sentir mudada, mas não me senti diferente.”

Duncan respondeu a outro chamado ao altar, apenas para ter certeza. Mais uma vez, ela esperou que Deus lhe dissesse algo, mas houve apenas silêncio.

 “Eu pensei que Deus diria algo para mim, como ‘Eu não aprovo’.​ “Porque Deus não me deu nenhuma direção, pensei que ele aceitava.”

Depois de responder a um terceiro chamado, o pastor lhe disse que, mesmo que não se sentisse diferente, deveria confiar que Cristo era seu Salvador.  E e​la disse a Deus: “OK, Senhor, farei minha parte”.
 Desta vez, algo mudou.
“Eu era tão  ignorante sobre Deus ou Jesus”.


 Quando os pais de Duncan descobriram sobre a situação, sua mãe ligou e disse que era “nojento”. Seu pai começou a assediá-la com telefonemas. Ela deixava o telefone fora do gancho.

Seu pai localizou seu patrão e o informou:
– Você realmente não tem um homem trabalhando para você. Essa é minha filha.
 Duncan, então, perdeu o emprego. Apesar de eles terem dito que a estavam despedindo por deficiências no trabalho, ela suspeitava o contrário:
– Eu descobri que era porque meu pai​ ​tinha estado lá.

Um colega de trabalho contou ​seu segredo ao pastor.
​”​Fui confrontad​a​. Claro, menti. A igreja entrou em contato com meus pais. Quando confrontado novamente, eu disse a verdade. A igreja me pediu para sair, dizendo:
– Nós amamos você, mas você não pode voltar aqui.
 Dói ser rejeitad​a​ por aqueles que afirmavam amar o Senhor. E me perguntei se Ele realmente me amava.​”​

Embora Duncan tenha sido convidada a deixar a igreja, ela sentiu que isso não refletia o coração de Deus. Ela se resignou às consequências de sua decisão: Ah, bem, foi isso que eu escolhi … Eu sabia que isso iria acontecer, pensou.
 “Mais uma vez, senti que estava sozinha.
 Depois desse incidente, parecia melhor assim.
 Embora eu t​ivesse procurado outra igreja e a frequentasse, também encontrei o álcool. Parecia aliviar a dor. Eu conheci um cara na academia e nos tornamos companheiros de bebida. Minha vida agora estava completa: álcool, piscina e andar atrás de mulheres. Não havia tempo para a igreja agora.”

Duncan é a primeira, da esquerda para a direita

Duncan ​arrumou outro emprego ​e ​começou a namorar uma colega de trabalho. ​Ela a convidou para ir à igreja. “Mais uma vez fiquei intrigad​a com Jesus e tudo o que ele era. ​Durante todo esse tempo, eu sempre tive uma namorada. Eu confiava apenas naqueles em que eu sabia que podia confiar, aqueles que guardariam meu segredo.​” 

​ “Como eu tinha sentimentos tão fortes de querer ser menino, era natural que eu me sentisse atraída por garotas e namorasse garotas.”  Ela considerava a homossexualidade errada​:. “Eu me sentia como um homem preso no corpo errado”.   

 ​”​Então fui para a igreja. Desisti de beber por ela, mas tive uma nova luta: a pornografia. Isso me pegou como uma droga. Finalmente contei à minha namorada, mas ela não sabia como ajudar. Logo depois, terminamos. Rapidamente entrei em outro relacionamento, mas logo vi o padrão de meu pai em mim. Decidi que não podia ser esse tipo de homem, então saí desse relacionamento.”

“Tornei-me mais diligente em ir à igreja. Uma noite, no trajeto, ouvi o Senhor me perguntar em voz alta e clara:
– Você vai agora? Você vai agora?
Eu não tinha nada a perder, então disse:

– Sim, Senhor, eu irei.”

“A partir daí, ele realmente começou a trabalhar em mim. Parei de beber e fui libertada do vício da pornografia. Os sermões me convenciam,  a contragosto, e eu comecei a abrir espaço para Deus em todos os lugares. Eu realmente o deixei entrar, e Ele estava limpando a casa. Eu ficava regularmente na casa do pastor Lembro-me de dizer Senhor, quero você. Eu nunca pensei que meu estilo de vida estivesse no caminho.”

“Um casal se tornou meus pais espirituais. Logo me tornei líder de pequenos grupos masculinos. Eu me abri para eles sobre mim. Eles ficaram tristes, mas me aceitaram e ficaram ao meu lado. Enquanto isso, Deus começou a enviar profunda convicção em minha vida. Lembro-me de ler na Palavra que nossos corpos eram o templo do Espírito Santo e me perguntei: “O que eu fiz comigo mesmo?” Depois de ler o Salmo 139, comecei a chorar porque falava de como Deus havia me criado e de como ele me conhecia desde o início.”

Então o Senhor começou a curar Duncan de “problemas com o pai”, trazendo um “pai espiritual” chamado Gary em sua vida para orientá-la. 4 anos depois, o pastor confrontou Duncan:
– Quem é você realmente?
– Eu sou uma mulher vivendo como homem – confessou.
 Quando ela disse essas palavras, sentiu o vento do Espírito Santo soprar através dela: “Deus soprou Sua Verdade em mim, e eu sabia que se queria o relacionamento com Ele que tanto desejava, então eu tinha que me tornar a mulher que Ele me criou para ser. Ele me deu esta escritura, Isaías 41:10: “Portanto, não temas, porque eu estou contigo; não fique desanimado, porque eu sou seu Deus, eu o fortalecerei e o ajudarei; eu o sustentarei com o meu direito justo mão.” ” 
– OK … tudo bem … não sei bem o que fazer – respondeu o pastor – Nunca lidei com isso antes. 
 Duncan disse ao pastor que sentia Deus levando-a a voltar a ser mulher.
– Vamos começar o processo – disse ele.

“Parei os hormônios depois de quase 12 anos e procurei, ansiosamente, ajuda. Participei de um programa que ajuda pessoas com atração sexual indesejada, com uma líder feminina. No começo, eu tive dificuldade em me relacionar e me senti realmente deslocada. ​Um​ conselheiro disse:
– Estou tentando encontrar a mulher aqui, e não estou vendo.
 Duncan entendeu o porquê: “Eu tinha barba. Minha compleição tinha se desenvolvido por levantar pesos. Eu era bem atarracada. Eu estava ganhando tanto peso quanto os caras. Os hormônios me deixaram maior. Eu também tinha calvície masculina.”

´Kathy Grace Duncan como Keith

“Em 1993, fui a uma conferência do Êxodo. Pedi a Deus que revelasse como fui enganada para me tornar homem. Ele me mostrou minhas percepções e crenças erradas: que as mulheres eram fracas e que os homens odiavam as mulheres. Eu tinha a mentalidade de que, uma vez mulher, eu seria odiada e me odiaria. Então eu pensei que, para ser aceita pelos outros, eu precisava me tornar um homem. Esse modo de pensar me prendeu em uma rede de mentiras, mas a verdade revelou quem eu realmente era e como havia sido criada.”

“A essa altura, uma mulher havia entrado na minha vida. Ela era um exemplo de como eu queria ser. Pela primeira vez, visualizei como seria ser uma mulher. Mas minha aparência masculina me lembrava que isso poderia ser impossível. Então Deus me garantiu que até isso estava sob o controle dele. Durante esse processo, consegui um emprego como homem. Mas era difícil trabalhar como homem durante o dia e depois voltar para casa e viver como mulher. Fui promovido. Conheci uma mulher na empresa pela qual, fiquei atraído. Ela me convidou para sair e eu não consegui recusar. Sem perceber, estávamos envolvidos e eu estava afundando rapidamente. Esse relacionamento estava alimentando minha fome de ser amada. Alguém me achava atraente e queria estar comigo. Mas foi difícil trapacear desta vez. Eu sabia o suficiente da verdade para dificultar as coisas, mas lembrava-me da mentira o suficiente para ela me seduzir ainda. Comecei a beber novamente para entorpecer toda a culpa que estava sentindo.”

“Eu me vi espiralando para baixo rapidamente e percebi que poderia morrer assim. Exasperada, implorei ao Senhor que interviesse. Dois dias depois, fui pega pela mulher que estava me discipulando. Isso pareceu trazer uma mudança rápida. Me arrependi e, através da disciplina, senti Deus muito próximo. Era 1996 e a conferência do Êxodo novamente. Nela, o Senhor afirmou minha feminilidade. Quando voltei para casa, senti-me desorientada no trabalho. Fui a outra conferência sobre a cura do transexualismo. Mais uma vez cheguei em casa mudada e fui trabalhar desorientada. Percebi que, mais uma vez, estava levando uma vida dupla. Comecei a procurar emprego como mulher. Tudo continuava dando errado, mas eu decidi desistir, com ou sem emprego. Uma senhora sabia da minha situação, mas não tinha vagas. Certa manhã, de domingo, ela tinha uma vaga e me contratou. Comecei a mudar legalmente meu nome de volta para Kathy. Um dia depois de iniciar meu novo trabalho, fiquei maravilhada com a maneira como Deus havia mudado minha maneira de pensar. Fui afirmada por Deus quando Ele me disse: “Você é quem eu te criei para ser, agora entre nisso”. Continuo impressionada com a maneira como Ele mudou meu pensamento, meu comportamento, minha crença e, definitivamente, minha percepção. “Pois conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.” João 8:32.

Kathy Grace Duncan, na época do 2º grau

“O início da transição foi árduo. “Cada dia era muito difícil. Eu estava deprimida. Levantava e parecia que eu estava andando com lama até a cintura. Perguntei ao Senhor como seria isso. O que eu deveria fazer? Ele me mostrou as mentiras: que eu não tivera nenhum carinho de meus pais. Eu superei as mentiras … aprendi que era bom ser mulher. Deus criou a mulher e disse que era bom.”

Depois de três meses sem hormônios, ela recomeçou a menstruar. Ela tinha 30 anos. “Levou de quatro a cinco anos para todos os efeitos desaparecerem. Desisti de levantar pesos por um tempo. Minha voz ainda é um pouco mais profunda do que a maioria das mulheres. Para os pêlos faciais, passei por eletrólise e laser para depilação. Não dá para ver que eu já me barbeei alguma vez. É impressionante o que o seu  corpo pode aguentar. Faz 24 anos que vivo como mulher. “

“Mas um último problema físico permaneceu. “A certa altura, perguntei ao Senhor sobre a troca dos meus seios. Ele me fez atravessar um ano lidando com um nível mais profundo de medo. Uma vez substituídos, eu seria conhecida como mulher. Isso foi muito intenso. Demorou um ano para superar esse medo.”

Ela também se perguntou como os homens a tratariam. Finalmente, ela passou por cirurgia de reconstrução mamária. “Foi a primeira vez na minha vida que tudo correspondia a mim, meu pensamento, meu corpo, minhas emoções, o que eu acreditava – tudo. Eu nunca havia sentido essa totalidade antes. Aqui estou eu, inteira. Ah meu Deus, isso é incrível.”


Deus também trouxe cura na área de suas atrações. “Agora que saí desse estilo de vida, fico totalmente atraída pelos homens. No começo, tive dificuldades com minha atração por mulheres, mas agora o Senhor curou essa parte de mim e eu superei todas essessas coisas. “Ainda estou solteira. Namorei aqui e ali. Não tenho pressa de me casar. Eu gostaria de me casar, mas estou contente como estou.A pele dela também voltou ao normal. “Você não pode dizer que eu já fiz a barba. É incrível o que seu corpo pode suportar. Eu vivi 24 anos agora como mulher. ”

“Eu sei, sem dúvida, que eu não poderia ter feito isso sem o Senhor. Eu não poderia ter feito isso sem Jesus. Eu consegui um relacionamento mais profundo com isso; consegui restauração e redenção; fui libertada; fui salva. Foi uma pechincha total.

“É por isso que estou sofrendo como sou. No entanto, não tenho vergonha, porque sei em quem acreditei e estou convencido de que ele é capaz de guardar o que lhe confiei naquele dia.” 2 Timóteo 1:12  

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *