iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Elite paternalista e condescendente espera subserviência intelectual em vez de pensamento crítico.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site: https://www.facebook.com/paulo.portinho/posts/3882161208546663?__cft__[0]=AZUq38ChdotWBmdwCA92Uadbmaorto9D93XZZ.
Autoria do texto: Paulo Portinho.
Data de Publicação: .
Leia a matéria na íntegra clicando aqui. https://www.facebook.com/paulo.portinho/posts/3882161208546663?__cft__[0]=AZUq38ChdotWBmdwCA92Uadbmaorto9D93XZZ
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Esse é o estudo mais interessante que li nessa pandemia. Trata do comportamento em redes sociais dos “anti-maskers”, nos EUA.

Um grupo de pesquisadores do MIT se infiltrou em uma comunidade de “anti-maskers” nos EUA, que aqui no Brasil seriam chamados de negacionistas da ciência.

A rigor o resultado do estudo não me surpreendeu. Já tinha notado que, em redes sociais, os que se dizem seguidores da ciência, via de regra, não fazem a menor ideia do que é ciência e, a maioria esmagadora, não tem expertise suficiente para compreender uma modelagem de estudo clínico, ou para entender o resultado de um teste de hipóteses.

Ou seja, os “seguidores da ciência” são, em sua maioria, tão somente repetidores de consensos forçados, de cunho eminentemente político e/ou econômico, e apenas parcialmente científico.

O que o estudo descobriu é que os anti-maskers (negacionistas), são muito mais habilidosos com a ciência e com os dados do que os seus adversários ideológicos ou epistemológicos. Enquanto usam Thomas Kuhn e Karl Popper, os seus adversários ainda vivem uma ingenuidade de acreditar que a ciência gera certezas que são proferidas por uma elite da burocracia científica.

Não entendi bem o que o estudo conclui. Ora parece que foi construído para detonar os anti-maskers, como uma comunidade que gera falácias (visualizações não-ortodoxas), ora parece colocá-los em um nível de expertise e sofisticação maior até do que o da própria comunidade científica mainstream.

Mas foi interessante ler um estudo tão amplo sobre algo que me parece bem claro aqui no Brasil. Os grupos organizados em redes sociais que seguem o consenso científico proferido através de manchetes de jornais é muito menos preparado para entender, de fato, o que está acontecendo do que aqueles a quem eles próprios chamam de “negacionistas”.

O estudo indica alguns motivos para isso e coloca bastante luz na divulgação arrogante dos resultados de estudos científicos nas redes sociais e na imprensa, que fazem questão de esconder a incerteza e as falhas metodológicas, transformando estudos que são um lixo, que os próprios pesquisadores reconhecem como “fúteis”, como provas definitivas de algo politicamente engajado. Isso gera irritação no grupo dos “anti-maskers“, reforçando a ideia de uma ciência politicamente enviesada.

O estudo é enorme e tem algumas expressões não triviais em inglês, por isso tive o trabalho de compilar na última madrugada, em português, uma sequência de tuites com as principais conclusões do estudo.

https://arxiv.org/pdf/2101.07993.pdf

https://twitter.com/commieleej…/status/1391754136031477760

Surpreendam-se (ou não):

“Fundamentalmente, os […]

Leia o texto completo no facebook de Paulo Portinho

Comentários principais:

Paulo Portinho

 O que eu penso sobre isso e sobre a COVID-19 está traduzido nessas frases do grande físico Richard Feynman: “O conhecimento científico é um corpo de afirmações com vários graus de certeza – algumas muito incertas, algumas quase certas, nenhuma absolutamente certa.”
“Não tenha nenhum respeito pela autoridade; esqueça quem disse isso e, em vez disso, olhe com o que ele começa, onde ele termina, e pergunte-se: “Isso é razoável?”
“É absolutamente necessário deixar espaço para dúvidas ou não haverá progresso nem aprendizado. Não há aprendizagem sem ter que fazer uma pergunta. E uma pergunta requer dúvida. As pessoas buscam certezas. Mas não há certeza.”
“Nunca estamos definitivamente certos, só podemos ter certeza de que estamos errados.”
“A dúvida é claramente um valor na ciência. É importante duvidar e que a dúvida não seja algo amedrontador, mas algo de grande valor.”
“O progresso na ciência ocorre quando os experimentos contradizem a teoria.”

Américo Lobo
prezado incapaz, a coisa mais jurássica que existe é acreditar que o Estado deve tutelar o cidadão. Estamos diante de pessoas que questionam o próprio processo científico, como todo cientista deve fazer ao contrário de quem abaixa a cabeça por que alguém usou a palavra ciência.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Psicanálise
Editorial

Fé Racional

Bizarro, da parte de Dawkins, que escreveu um livro chamado “Deus, um Delírio”, em que alegava que a religião era uma força profundamente malévola e

Leia Mais »
Psicanálise
Editorial

Jordan Peterson Desagravado

As pessoas riram quando Jordan Peterson disse que as feministas estão do lado do Islã radical porque as elas têm um desejo inconsciente de dominação

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *