iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Terapeuta sexual e professor de ética aplicada informa, sem ser retorquido.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site: .
Autoria do texto: .
Data de Publicação: .
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

 

Agora que o sexo virtual tornou-se rotineiro, os meios de comunicação começam a informar que o futuro das relações sexuais está no sexo com robôs, dando a entender que relações humanas ficarão obsoletas.  

A seguir, alguns raciocínios do professor universitário, Neil McArthur:

 
Novas tecnologias sexuais radicais, que chamamos de “dig​isexualid​ades”, estão aqui​.​ À medida que essas tecnologias avançam, a sua adoção crescerá e muitas pessoas podem se identificar como “dig​isexuais”, pessoas cuja identidade sexual primária ​vem do uso da tecnologia​.
 
Os pesquisadores descobriram que tanto ​leigos quanto profissionais têm sentimentos mistos sobre ​os dig​isexua​i​s. Os clínicos devem estar preparados para os desafios e benefícios associados à adoção dessas tecnologias sexuais.​​ ​ A fim de permanecerem éticos e viáveis, os clínicos precisam estar preparados para trabalhar com ​pacientes que participam de dig​isexualidades. No entanto, muitos profissionais não estão familiarizados com essas tecnologias, bem como com as implicações sociais, legais e éticas​.
 
As diretrizes para ajudar os indivíduos e os sistemas relacionais a fazer escolhas informadas sobre a participação em atividades baseadas em tecnologia de qualquer tipo, ​sem falar nas de natureza sexual, são poucas e distantes​.​ Assim, é imperativo uma estrutura para entender a natureza da dig​isexualidade e como abordá-la​.​
 
​Para muitas pessoas​, ​suas experiências com essa tecnologia ​será parte integrante da sua identidade sexual​,​ e algumas prefer​irão que ​os robôs dirijam as interações sexuais com os humanos. Esses robôs serão feitos sob medida para satisfazer os desejos das pessoas e farão coisas que os parceiros humanos não podem ou não vão fazer​.​ Por esta razão, um número significativo de pessoas provavelmente virá a usar os robôs como seu principal modo de experiência sexual​.​”
 
 
B​ordéis ​com robô​s​ sexuais e casamentos com robôs são notícias que estão se tornando populares.

De acordo com os futuristas do Reino Unido, em 2050 o contato sexual entre uma pessoa e um dispositivo eletrônico ou um robô ocorrerá com mais frequência do que entre duas pessoas. O futurologista Ian Pearson prevê a disseminação de brinquedos sexuais interagindo com realidade aumentada e virtual. As novas tecnologias levarão o relacionamento íntimo com os robôs a um nível tal que eles não serão diferentes do contato interpessoal:

 
A inteligência artificial está atingindo níveis humanos e também se tornando emocional. Então, as pessoas terão ​laços emocionais bastante fortes com seus próprios robôs. Em muitos casos, isso se t​ransformará ​num relacionamento ​sexual, porque elas ​já ​​acham que a aparência do robô combina, afinal, com suas preferências, então, se o robô parece legal e também​ ​tem uma personalidade excelente, é inevitável que as pessoas ​criem fortes laços emocionais com seus robôs e, em muitos casos, ​isso ​levará ao sexo​.
 
 

As relações entre homens e mulheres costumam ser difíceis. Discussões, tensões, o cansaço de um ou de ambos os parceiros têm um impacto negativo na qualidade e na frequência do sexo. O uso de robôs com a capacidade de mergulhar na realidade virtual irá desencadear a imaginação e apimentar a vida sexual. Pessoas solteiras terão uma vida sexual e quem estiver em um relacionamento serão capazes de resistir à tentação de trair.

O próximo passo na evolução será o surgimento de movimentos sociais para defender os robôs da opressão sexual? Teremos defensores dos direitos dos robôs? Os hackers reiniciarão as mentes dos robôs para libertá-los da função sexual?

 

 

Neil McArthur, Ph.D., Diretor, Centro de Ética Profissional e Aplicada, Professor Associado, Filosofia, Universidade de Manitoba; afiliado do Conselho Consultivo, Certificado de Graduação em Programa de Terapia Sexual, University of Wisconsin-Stout, Menomonie, WI.

Apresentação do professor: Interesso-me, particularmente, pela interseção de sexo e tecnologia. Também me interesso por questões LGBTQ, identidades sexuais alternativas e questões relacionadas aos direitos das minorias sexuais.
 
Dr Ian Pearson, futurólogo há 30 anos, acompanhando e prevendo desenvolvimentos em uma ampla gama de tecnologia, negócios, sociedade, política e meio ambiente. Graduado em Matemática e Física e Doutor em Ciências. Trabalhou em vários ramos da engenharia da aeronáutica à cibernética, transporte sustentável à cosmética eletrônica.

Escreve, dá palestras e dá consultoria globalmente sobre todos os aspectos do futuro impulsionado pela tecnologia.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Parasita Causa Ansiedade

Milhões de pessoas têm parasitas, que podem influenciar pensamentos, comportamentos, promiscuidade, enfraquecer o sistema imunológico, causar fadiga, problemas intestinais e até distúrbios mentais, mas os

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *