iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Enquanto a OMS retira parafilias do diagnóstico de doenças mentais.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Uma feminista norueguesa pode pegar até três anos de cadeia por tuítes supostamente ​de ​“ódio” dirigidos a um homem que afirma ser uma mulher lésbica.

Christina Ellingsen foi acusada, pela Anistia Internacional da Noruega de assediar ​o transexual Christine Marie ​Jentoft depois de lhe dizer​,​ na televisão nacional​,​ que ele era homem.

“Por que [a] FRI ensina aos jovens que homens podem ser lésbicas? Isso não é terapia de conversão?”

Você é um homem. Você não pode ser mãe​, normalizar a ideia de que os homens podem ser mães é uma forma definida de discriminação contra as mulheres.

Jentoft, que é homem e conselheiro na FRI, se apresenta como lésbica – é assim que a organização que supostamente trabalha para proteger os interesses das jovens lésbicas é maluca. Como isso ajuda as jovens lésbicas quando os homens afirmam ser lésbicas também?

Christine Marie Jentoft, ​representante do grupo ativista trans​,​ já provocou polêmica depois de convidar crianças a contatá-lo para abraços em um tweet feito em 2018:

Queridas crianças queer de todas as idades! Eu sei que alguns de nós têm pais que não nos amam mais. Mas graças a um vídeo do [Facebook] que acabei de ver, só quero informar que sou realmente uma mãe certificada. Então, se você precisar de um verdadeiro abraço maternal, ficarei feliz em atender​​!

Jentoft é consultor sobre diversidade de gênero para a FRI, também conhecida como Organização Norueguesa para Diversidade Sexual e de Gênero. A FRI era anteriormente conhecida como a Associação Nacional para a Libertação de Lésbicas e Gays.

Desde 1997, a FRI vem trabalhando para a revogação de parafilias e fetiches sexuais como diagnósticos de saúde mental na Noruega e no exterior. Em 2010, muitos diagnósticos relacionados à parafilia foram retirados da literatura médica norueguesa e, em 2018, a Organização Mundial da Saúde (OMS) seguiu o exemplo. As campanhas da FRI resultaram com sucesso em sadomasoquismo, fetichismo transvéstico e fetichismo geral sendo reclassificados como variantes de excitação sexual na 11ª edição da Classificação Internacional de Doenças (CID).

Em 2016, a Noruega aprovou uma lei permitindo que pessoas com mais de 6 anos mudem seu sexo legal nos documentos. Atualmente, não é possível alterar o status parental, embora a FRI esteja fazendo campanha para mudar isso.

Uma mãe, na Noruega, pelas leis que regem os direitos da criança, define-se como a “mulher que deu à luz a criança”. Nos últimos anos, a FRI tem feito lobby para redefinir a definição legal de “mãe” para “parent* biológico”, juntamente com outras alterações linguísticas destinadas a tornar as leis “neutras em termos de gênero”.

Há cinco anos, o governo norueguês anunciou a intenção de introduzir marcadores de identificação de gênero neutro até 2032, eliminando assim dados com base em sexo, que podem ser úteis para entender o impacto de leis e políticas sobre mulheres e crianças.

Ellingsen ainda disse:​

Estou sob investigação policial por fazer campanha pelos direitos das mulheres porque, para certos grupos, o fato de mulheres e meninas serem mulheres e de que homens não podem ser mulheres, meninas, mães ou lésbicas é considerado odioso.

As mulheres não são protegidas contra o discurso de ódio na Noruega, mas os homens que afirmam serem lésbicas e mulheres são protegidos tanto por identidade de gênero quanto por orientação sexual.

​​O precedente já foi estabelecido por um caso de 2021 em que um norueguês foi preso por ​21 dias e multado ​em 15.000 NRK, ​por “desajustar o gênero” de alguém que se identifica como trans​exual no Facebook.

Em 2019, a polícia do Reino Unido investigou o potencial “crime de ódio” de uma mulher trans​exual ter s​ido rejeitada p​ara um papel pornô porque ainda t​inha pênis.

* parent – palavra, em inglês, que designa tanto o pai quanto a mãe.

Enquanto a OMS retira parafilias do diagnóstico de doenças mentais.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.