iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Faculdade de elite dos EUA substitui ciência por doutrina.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site: free beacon.com.
Autoria do texto: Condensação de artigo de Aaron Sibarium.
Data de Publicação: .
Leia a matéria na íntegra clicando aqui. free beacon.com
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A Faculdade de Medicina da UCLA [Universidade da Califórnia] exige que os alunos participem de uma palestra onde o palestrante exige oração por ‘Mama Earth’ e lidera cantos de ‘Palestina Livre’.

Num curso obrigatório, a convidada, Lisa “Tiny” Gray-Garcia, começou a palestra encabeçando uma “oração não secular” aos “ancestrais”, instruindo todos se ajoelhassem e tocassem o chão, “mamãe terra”, segundo ela, com os punhos.

Pelo menos metade dos alunos obedeceram.

A oração ainda teve uma bênção para os “negros”, “pardos” e “sem-teto” que morrem por causa da “mentira crapatalista” [neologismo: porcaria (crap) + capitalismo da “propriedade privada”. Disse Gray-Garcia aos alunos ajoelhados:

Mamãe terra nunca foi feita para ser comprada, vendida, prostituida nem para se brincar com ela.

Na longa palestra Gray-Garcia usou um keffiyeh que cobria todo o seu rosto, Gray-Garcia, uma autodenominada “estudiosa da pobreza”, conduziu a aula em gritos de “Palestina Livre, Livre”.

Ela referiu-se à medicina moderna como “ciência branca” e censurou a “ocupação” da “Ilha da Tartaruga” (os Estados Unidos). Em seguida pediu aos alunos que se levantassem para uma segunda oração.

Quando um aluno permaneceu sentado, perguntou seu nome, dando a entender que poderiam haver medidas disciplinares.

Sobre o evento, escreveu o Grupo de Resiliência do Corpo Docente Judaico da UCLA ao reitor da universidade:

O efeito prático foi que a equipe da UCLA intimidou alunos de medicina do primeiro ano a participarem de um serviço religioso em derrogação de suas próprias crenças pessoais. É preciso haver uma revisão e investigação externa urgente e completa do currículo [da faculdade de medicina] e do anti-semitismo sistêmico”

A palestra decorre do curso “Racismo Estrutural e Equidade na Saúde”, lançada após a morte do criminoso negro George Floyd, como parte do “ roteiro anti-racismo ” da faculdade de medicina.

O curso tornou-se objeto de uma reclamação de direitos civis em janeiro, depois de separar os alunos em grupos de discussão baseados em raça – um para estudantes brancos, outro para afro-americanos e um terceiro para “pessoas de cor não negras”. A UCLA cancelou o exercício depois que um editorial do Wall Street Journal destacou a reclamação.

O conteúdo programático possui seções sobre “colonialismo de povoadores” e recomenda um podcast sobre “Saúde das mulherxs indígenas”, e o ensaio “A descolonização não é uma metáfora”.

A UCLA e Gray-Garcia não responderam aos pedidos de comentários.

Lindsay Wells, pediatra da UCLA e diretora do curso obrigatório do primeiro ano, “Racismo Estrutural e Equidade na Saúde”, não respondeu a um pedido de comentário.

Imagem:
Foto de Israel Torres, via Pexels.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Psicanálise
Editorial

Jordan Peterson Desagravado

As pessoas riram quando Jordan Peterson disse que as feministas estão do lado do Islã radical porque as elas têm um desejo inconsciente de dominação

Leia Mais »
Psicanálise
Editorial

O Mundo nas Mãos das Universidades

vhttps://twitter.com/MOSSADil/status/1783156429831934238 O Major General Aharon Haliva diz adeus: E desejamos-lhe boa sorte nos seus empreendimentos futuros. O que podemos [não deveríamos] aprender com Aharon: >

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *