iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

não tem idade para decidir a hora de ir dormir

tem idade o suficiente para decidir o próprio sexo

Em três anos, 35 psicólogos se demitiram do sistema público de saúde do Reino Unido, o Tavistock e Portman NHS Foundation Trust, que administra o Serviço de Desenvolvimento de Identidade de Gênero (GIDS), que trata da disforia de gênero. O serviço tratou 770 crianças há uma década, em comparação com 2.590 no ano passado. Existem outros 3.000 na lista de espera.

A maioria dos pacientes são meninas (74%) que acreditam que são meninos. Alguns têm apenas três anos quando seus pais os levam para o Tavistock Centre. No Reino Unido, a terapia hormonal cruzada – onde as meninas recebem testosterona e os meninos recebem estrogênio – normalmente não é administrada antes dos 16 anos e a cirurgia de mudança de sexoé ilegal com menos de 18 anos.

No entanto, crianças de até dez anos receberam bloqueadores da puberdade.

Temendo por seus empregos, dos seis psicólogos apenas um dos psicólogos permitiu-se ser filmado sob a condição de que sua voz e aparência fossem disfarçadas.

Ela disse que , ficou surpresa ao descobrir que todos os pacientes infantis do Tavistock estavam sendo tratados clinicamente, dizendo: “No momento, há apenas um caminho no serviço, que é um caminho médico, não o psicológico.”

Ela detalhou um caso em que achou que uma criança que pensava estar no corpo errado recebera medicamentos rapidamente demais, e que outros problemas em sua história psicológica não haviam sido explorados.

Ela disse: “Certa vez, trabalhei com um executivo que achava que a disforia de gênero que um jovem apresentava era muito forte, muito intensa. Então, ela decidiu submetê-lo ao tratamento de bloqueio hormonal, após duas consultas.

“Olhando para trás, era um jovem com histórico de trauma e trauma direto em termos de abuso. Havia outras coisas acontecendo com eles, e isso não estava sendo explorado pelo clínico.”

Outros apoiaram essa visão, um psicólogo anônimo disse “A terapia não é uma opção neste serviço”.

A psicóloga salientou que as meninas estão buscando uma transição desproporcionalmente. Em muitos casos, as meninas haviam sofrido discriminação e tinham um histórico de abuso.

“Esse [fenômeno] está acontecendo em todo o mundo ocidental”.

A psicóloga, que se descreveu como uma “aliada entusiasta dos LGBTQ”, continuou dizendo que não seria capaz de ter esse tipo de conversa com os pais de uma criança com disforia de gênero: “Senti que, se alguma vez falasse com uma família assim, seria imediatamente chamado de transfóbica”.

Ela também disse que, quando manifestou suas preocupações, “era frequentemente silenciada por outros clínicos afirmativos”.

“Nosso medo é que os jovens estejam sendo diagnosticados em excesso e depois medicados em excesso”, disse outro denunciante anônimo.

“Estamos extremamente preocupados com as conseqüências para os jovens. Para os que trabalhamos anteriormente no serviço, receamos estar assistindo, na primeira fila, a um escândalo médico”.

Uma mulher de 19 anos, Thomasin, que interrompeu a transição e voltou a se ver como mulher, disse que estava seguindo o caminho da mudança de gênero porque estava tendo dificuldades em se aceitar como lésbica. Vários ex-clínicos de Tavistock disseram que agora estão apoiando adolescentes que mudaram de idéia e “fizeram a detransição”.

Não é a primeira vez que o Tavistock e o Portman NHS Foundation Trust são criticados por lidar com crianças com doenças mentais. O ex-diretor do Trust, Marcus Evans, revelou que os médicos estavam acelerando os procedimentos de mudança de sexo das crianças devido à pressão de lobistas trans “altamente politizados”.

O relatório, escrito pelo Dr. David Bell, que falou recentemente em uma conferência britânica de detransição, citou os grupos de lobby pró-trans Gendered Intelligence e Mermaids, e disse que o GIDS “foi longe demais a fim de aplacá-los”.

Mermaids, que fez campanhas para diminuir a idade para mudanças de sexo, foi exposta por ter aumentado o risco de suicídio de crianças que estão esperando para mudar de sexo.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Publicidade

Sorteio Brigith Jóias!

Peça Publicitária A Brígith jóias & consignação preparou um sorteio para seus seguidores:Quer ganhar todos esses prêmios? 100 reais em jóias. Uma Make Profissional. Uma

Leia Mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *