iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Conservadorismo é a tentativa de manter unido o pacto entre os vivos, os mortos e os não nascidos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Por Michael Brendan Dougherty. Leia o artigo completo no National Review.



Para Cícero casamento e família são a base da vida política: “O 1º vínculo da sociedade é o casamento; a seguir, filhos; e então a família.”

[…]

As coisas mais simples da vida são profundamente importantes. O caos de uma mesa de jantar em família com crianças pequenas, a bajulação, a negociação e a troca: “Mais uma mordida e você pode sair da mesa!” – são assuntos sérios. Eles são sociais e políticos. É aqui que as crianças aprendem a receber o que outras pessoas fizeram por elas graciosamente. É aqui que os pais aprendem a ter paciência e a praticar o julgamento. É aqui que aprendemos a construir uma vida comum: de deveres, direitos e privilégios recíprocos. O bebê bate no prato e joga a comida para o cachorro. Com anos de prática, ele aprende o suficiente para dar fim às sobras e pôr a mesa. Com mais alguns anos, ele aprende a ser verdadeiramente hospitaleiro com os outros, até mesmo com seus próprios filhos.

Mas antes mesmo de transformarmos os bárbaros em homens da elegância, existe a questão do primeiro vínculo. E de acordo com os números recentes, está decaindo.

[…] O censo estima que quase um quarto de todos os adultos agora nunca se casará. O Institute for Family Studies observa que uma grande parte do crescimento de pessoas que nunca se casaram está concentrada entre os americanos de baixa renda.

[…] Os homens pesquisados ​​dizem que a falta de trabalho estável é um fator importante que contribui para nunca terem se casado.

Se o vínculo familiar transforma os filhos de bárbaros em homens civilizados, o vínculo matrimonial impede que os homens se tornem um certo tipo de colapso. O personagem Marty Hart, da série True Detective, comenta sobre o apartamento de seu parceiro, Rust Cohle. “Depois de uma certa idade, um homem sem família pode ser uma coisa ruim”. Cohle rumina demais sobre o lado negro da vida. Ele bebe muito na hora errada.

Sabemos, por meio de estudos intermináveis, que homens sem casamento têm menos probabilidade de trabalhar ou voltar a trabalhar, e homens sem trabalho têm menos probabilidade de se casar. […]

Este é o grupo de homens com menos probabilidade de se casar. E sua falta de casamento leva a uma verdadeira atomização. Pesquisas sobre o uso do tempo mostram que esses homens não se juntam a grupos cívicos, não agem como cuidadores de idosos nem treinam a liga infantil de beisebol. Sem o primeiro vínculo da sociedade, eles perdem todos os outros.

Se você já se perguntou por que os republicanos eleitos e uma grande constelação de instituições políticas que ostentam o rótulo conservador de “falham em conservar”, a resposta talvez esteja nos encarando de frente.

Conservadorismo é a tentativa de manter unido o pacto entre os vivos, os mortos e os não nascidos. Mesmo no nível mais básico, redutivo e materialista, um homem com esposa e três filhos tem mais DNA investido na próxima geração do que em seu próprio corpo. Isso vai mudar a maneira como ele encara a vida todos os dias. Vemos isso novamente nas pesquisas de uso do tempo: ele vai assistir menos TV – assistir menos todas as outras completamente. Ele vai beber menos álcool, usar menos drogas. Ele vai trabalhar mais e ganhar mais promoções. Ele vai aumentar as ambições para sua própria vida porque o destino dos outros está conectado ao dele. Isso o deixará mais atento à posteridade. Isso fará com que ele se preocupe e aprecie sua própria herança cultural e política.

Isso é o mais básico possível. E sugere que as perspectivas de que o conservadorismo “conservará” qualquer coisa são tênues enquanto não cuidarmos do vínculo primário de nossa sociedade.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *