iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Por Victoria Friedman. Leia o artigo completo no Breitbart.

Um homem de 40 anos foi internado, após a votação do Brexit, em 2016, em “um estado psicótico agudo”. Ele sofria de insônia e paranóia e estava ouvindo vozes.

O Dr. Mohammad Zia Ul Haq Katshu, que tratou o homem, escreveu  “Sua saúde mental se deteriorou rapidamente após o anúncio dos resultados, com preocupações significativas com relação ao Brexit.
Ele se apresentou agitado, confuso e com pensamentos desordenados. Tinha alucinações auditivas e delírios paranóicos, referencial, de identificação errônea e bizarros.”

Os médicos o diagnosticaram com Transtorno Psicótico Agudo e Transitório (ATPD), semelhante à esquizofrenia, e prescreveram o medicamento antipsicótico olanzapina. Depois de duas semanas no hospital, ele “se recuperou completamente”.

O paciente havia passado por uma ocorrência semelhante, porém mais leve, 13 anos antes, após um estresse significativo relacionado ao trabalho. Ele também disse que, durante o recente episódio, ele estava enfrentando “pressões familiares”. No entanto, o médico disse que “o Brexit parece ser o estressor primário”.

Mais detalhes no relatório revelam que o paciente “achou difícil se reconciliar com os eventos políticos que aconteciam ao seu redor”. Ele também havia passado mais tempo nas mídias sociais compartilhando seus pensamentos.

Dizia-se que ele ficara “cada vez mais preocupado com incidentes raciais”, perdera o sono, demonstrara paranóia e “ficara cada vez mais agitado em casa e começou a jogar coisas”.

Durante sua permanência na unidade psiquiátrica, o homem, que “descreveu sua família como ‘multicultural’”, disse que “relatou que sentia vergonha de ser britânico”, e:

“Eu estava olhando o mapa eleitoral da votação [do Brexit]. Estou em uma circunscrição eleitoral que reflete uma opinião que não é para mim.”

Em outro momento de seu tratamento, “ele estava agitado, perplexo e confuso, tentando cavar o chão com as mãos para ‘escavar’ no chão para ‘dar o fora desse lugar’”.

O Times relata que duas em cada cinco pessoas de 18 a 30 anos entrevistadas pelo Young Women’s Trust, em 2017, culparam o Brexit por tê-las deixado ansiosas. A pesquisa também mostrou que as prescrições para antidepressivos aumentaram após o referendo.

Katshu observou que, embora esse tenha sido o primeiro caso de psicose relacionada ao Brexit, “um caso de breve distúrbio psicótico precipitado pelo estresse” associado à vitória eleitoral do presidente Donald J. Trump foi relatado nos EUA no mesmo ano.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Coronavírus (COVID-19)

O Vírus Chinês Abala a Saúde Mental

Médico psiquiatra, professor titular do departamento de psiquiatria da Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, o professor Jair de Jesus Mari ministrou

Leia Mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *