Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Livro de contatos de Jeffrey Epstein

Por Wesley J. Smith. Leia o artigo original no National Review.

O transumanismo é um movimento social solipsista que, às vezes, beira o narcisismo. Os adeptos acham que são tão importantes que devem viver para sempre. Eles querem licença para melhorar geneticamente seus descendentes e redesenhar a raça humana em uma espécie “pós-humana” feita à sua própria imagem.

O transumanismo não é marginal. Pelo contrário, tornou-se o fenômeno da elite. Centenas de milhões fzem pesquisa tecnológica transumanista. Alguns dos maiores nomes do mundo da tecnologia são os devotos, como Ray Kurzweil, do Google, e Elon Musk, CEO da Tesla. O movimento é promovido nas universidades de elite, com – apenas como um exemplo – os bioeticistas discorrendo seriamente sobre se os robôs de IA ou ciborgues deveriam receber direitos do tipo humano. Para alguns, é um substituto da religião, oferecendo esperança no deserto da futilidade existencial materialista.

É por isso que não fiquei surpreso ao saber que o criminoso sexual condenado e acusado de traficante de seres humanos, Jeffrey Epstein, também é um transumanista. Da história do New York Times :

A visão do Sr Epstein refletia seu fascínio de longa data com o que ficou conhecido como transumanismo: a ciência de melhorar a população humana por meio de tecnologias como engenharia genética e inteligência artificial. Os críticos têm comparado o transumanismo a uma versão moderna da eugenia, o campo desacreditado de melhorar a raça humana através da criação controlada.

É um movimento de uma nova eugenia e, em alguns mãos, poderia até se tornar uma filosofia neo-super-homem.

Aparentemente, Epstein era tão bom em se insinuar na elite da comunidade de cientistas – como Steven Hawking, e pesquisadores de topo e defensores da ciência – tanto quanto ele era entre políticos e líderes culturais:

O Sr. Epstein atraiu uma gama brilhante de cientistas proeminentes. Incluia-se o físico vencedor do Prêmio Nobel Murray Gell-Mann, que descobriu o quark; o físico teórico e autor de best-sellers Stephen Hawking; o paleontólogo e biólogo evolucionista Stephen Jay Gould; Oliver Sacks, o neurologista e autor de best-sellers; George M. Church, um engenheiro molecular que trabalhou para identificar genes que poderiam ser alterados para criar seres humanos superiores; e o físico teórico do MIT, Frank Wilczek, ganhador do prêmio Nobel. . .

Cientistas se reuniram em jantares na mansão do Sr. Epstein, em Manhattan, onde Dom Pérignon e vinhos caros corriam livremente, apesar de Epstein não beber. Ele organizo almoços de bufê no Programa de Dinâmica Evolutiva de Harvard, que ele ajudou a começar com uma doação de US $ 6,5 milhões.

Outros voaram para conferências patrocinadas por Epstein nas Ilhas Virgens dos Estados Unidos e foram homenageados em sua ilha particular. Certa vez, os cientistas – incluindo Hawking – lotaram um submarino que Epstein havia contratado.

E, valha-me Deus, ele queria “semear seu DNA” em toda a população mundial – definitivamente não é o sonho transumanista de sempre:

Em várias ocasiões, a partir do início dos anos 2000, Epstein contou a cientistas e empresários sobre suas ambições de usar seu rancho no Novo México como base onde as mulheres seriam inseminadas com seu esperma e dariam à luz seus bebês, segundo dois premiados cientistas e um consultor de grandes empresas e indivíduos ricos, quem Epstein contara sobre isso.

Não era um segredo. O assessor, por exemplo, disser que for informado sobre os planos não apenas por Epstein, em uma reunião em sua casa em Manhattan, mas também por pelo menos um membro proeminente da comunidade empresarial. Um dos cientistas disse que Epstein divulgou sua ideia, em 2001, em um jantar na mesma casa; o outro relembra Epstein discutindo isso com ele em uma conferência de 2006 que ele organizou em St. Thomas, nas Ilhas Virgens.

No entanto, muitos desses cientistas e pesquisadores mais sólidos aceitaram avidamente sua amizade e generosidade.

Os sonhos de imortalidade podem ser muito sedutores e, para alguns, desculpam muitos pecados. Assim também, aparentemente, a perspectiva de colher um pote de ouro em financiamento de pesquisa e sair com os poderosos e influentes da sociedade.

ATUALIZAÇÃO: Epstein foi encontrado morto hoje, apenas horas após a suspensão do alerta para suicídio. Ele passou a ser vigiado a partir de 25 de julho, quando foi encontrado quase inconsciente no chão da sua cela.

Como perguntou Stephen Crowder: Então, de quem foi a ideia brilhante de tirar Epstein de suspender a vigilância contra suicídio? Parece um detalhe relevante.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.