iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Tratar Deus como uma decoração para pendurar na periferia de nossas vidas é construir fé em areia movediça.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Atenção:

Esse artigo desempenha papel meramente informativo. Consulte sua autoridade médica local para receber aconselhamento apropriado.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site: Daily Wire.
Autoria do texto: Sharif Khan.
Data de Publicação: 5 de Outubro de 2019.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui. Daily Wire

Por Sharif Khan. Leia o artigo completo no Daily Wire.

“O que é loucura, mas nobreza de alma contradizendo as circunstâncias?” – Theodore Roethke, Em um Momento Sombrio

Poucas palavras parecem tão prescientes para esses tempos que correm que a linha acima. Retiradas do poema de Theodore Roethke publicado em 1963, essas palavras traduzem a frustração e o desespero que parecem fervilhar à nossa volta com forte eloqüência.

Os valores atemporais, que outrora consideramos sagrados, foram desconstruídos e lançados num esquecimento abjeto. Pior, esses valores agora são recebidos com zombaria e escárnio, quando não totalmente difamados. Mesmo os poucos que pretendem defendê-los na esfera pública, parecem apenas fazê-lo para seus próprios fins patéticos.

A loucura e o desespero parecem, agora, as ordens do dia. Certamente, os números confirmam e estão além da compreensão. O suicídio é a principal causa de morte de homens no Reino Unido. É a segunda principal causa de morte para os americanos entre 10 e 34 anos. A solidão e o vício são verdadeiras pragas nos EUA e além.

De acordo com o Center for Disease Control (CDC), o  uso de antidepressivos aumentou 400%  desde os anos 90. Em meio à epidemia de opióides, 130 americanos tomam overdose e morrem todos os dias.

O fato, também, de muitos estarem decidindo se voltar uns contra os outros não deve ser uma surpresa, considerando a profundidade dessas crises espirituais, por meio século. Novamente, invade essas almas patéticas um desespero sombrio e traiçoeiro que preside qualquer retórica fanática e cansada que elas possam abrigar ou vomitar.

Mais triste ainda, estamos todos distraídos ao ponto de exaustão. Nossos telefones, computadores, contas de mídia social amortecem nossos sentidos, não importando nossas faculdades críticas. Um impulso irracional em direção a coisas efêmeras nos cega. Não é de se admirar que o desespero siga logo nossa inquietação e tédio fatigante:

“Em todo o zoológico esquálido de vícios, um é ainda mais feio e mais sujo do que o resto … falo do tédio que, com lágrimas prontas, sonha com enforcamentos enquanto sopra o cachimbo.” – Charles Baudelaire , Les Fleurs du mal

Coletivamente, fora da húbris e das platitudes, parece haver relutância em lidar com a derrota maligna e espiritual que nos afetou por tantas décadas. Mesmo quando não está sob ataque constante, a fé significativa é tratada como um ornamento antiquado para ser colocado em uma prateleira ou apresentada com ofuscação, sem qualquer consolo ou valor real.

Tratar Deus como uma decoração para pendurar na periferia de nossas vidas é construir fé em areia movediça. E a fé e Deus apresentados sob uma luz abstrata demais proporcionam, na melhor das hipóteses, apenas o consolo frio de uma equação. Nenhum deles oferece um pouco de orientação ou esperança genuína em nosso momento arriscado de necessidade.

Com demasiada frequência, já não prestamos testemunho nem da beleza profundamente simples de que Deus Todo-Poderoso nos rodeia todos os dias. Independentemente disso, é evidente, como sempre, em uma brisa suave, numa melodia, no riso do seu filho, no tom de uma doce lembrança. Talvez, porém, tenhamos mergulhado fundo demais na caverna proverbial, mais fundo do que Platão jamais poderia imaginar. Devemos reorientar nosso propósito para com Deus se quisermos encontrar a saída.

Aviso Legal

O CONIPSI acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a salvar vidas. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito do novo Coronavírus, a fim de difundir somente aquelas que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Publicidade

Sorteio Brigith Jóias!

Peça Publicitária A Brígith jóias & consignação preparou um sorteio para seus seguidores:Quer ganhar todos esses prêmios? 100 reais em jóias. Uma Make Profissional. Uma

Leia Mais »