Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Por Jason. Leia o artigo completo em Fugindo da Idade Adulta.

O fato de que incluir a lagosta em qualquer prato o torna mais caro é uma reviravolta na sua origem humilde. Há algumas centenas de anos, a lagosta era abundante, aparecendo nas costas às centenas. A chamada “barata do mar” era devorada apenas pelos pobres (em privado) e prisioneiros, que consideravam cruel e incomum o castigo. Era comumente usada como alimento para gado e fertilizante. O observador social e político, John Rowan, disse, em 1876: “as carapaças de lagostas numa casa são vistas como sinais de pobreza e degradação”.

Mas no final do século 19, o enlatamento tornou-se uma maneira viável de mandar rações de comida para os soldados na Guerra Civil.  Havia “demanda só porque era barata e rica em proteínas, basicamente combustível mastigável.” Com o surgimento das ferrovias, num estratagema de marketing, rebatizaram a barata lagosta enlatada como um prato exótico para os passageiros, e para restaurantes finos, longe da costa. Logo, a lagosta fresca tornou-se mais desejada. A nova popularidade aumentou a demanda, reduzindo a oferta e elevando os preços. 

Foi assim que a lagosta passou de comida de prisão a iguaria. 

É também um exemplo de como mudar a maneira como você vê, muda tudo. Um exemplo mais moderno vem através de um email que recebi de uma leitora chamada Melissa. Ela e sua família passaram por momentos turbulentos. Tem sido estressante, para dizer o mínimo. Ela escreveu:

“O que aprendi ao observar o exemplo do meu marido foi divertir-me intencionalmente em meio a tudo isso. Eu tenho dito SIM para mais pequenos pedidos do que o habitual, a fim de combater o estresse: sim, vamos tomar sorvete; sim vamos ao parque; sim vamos brincar com balões de água; sim, vamos àquele fim-de-semana não planejado com os primos; sim, podemos assar biscoitos novamente. Acho que meus filhos podem achar que ter pragas na casa foi um dos momentos mais divertidos de sua infância … e, pensando neste tempo, gostaria de saber se vou lembrar das pragas ou apenas da diversão que tivemos.”

Eu acho que todos nós sabemos a resposta para isso. 

Você não pode evitar o estresse ou impedir que desafios difíceis invadam o seu cotidiano, mas você pode controlar como você o enquadra. Melissa e seu marido reformularam suas adversidades em lembranças preciosas para seus filhos. 

Essa capacidade de reformular não é uma técnica de Pollyanna para fazer você se sentir bem. Como os exemplos acima demonstram, ela pode, literalmente, criar dinheiro a partir do nada e produzir felicidade pela frustração. 

Fonte:

www.10best.com/interests/food-culture/how-lobster-went-from-prison-trash-food-to-delicacy/

gizmodo.com/lobsters-were-once-only-fed-to-poor-people-and-prisoner-1612356919

www.cracked.com/article_17246_when-lobster-was-spam-5-gourmet-foods-that-used-to-be-cheap.html

www.10best.com/interests/food-culture/how-lobster-went-from-prison-trash-food-to-delicacy/

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Psicanálise

LGBTQ Processa a Ciência.

Por Walter E. Williams. Leia o artigo completo no Daily Wire. Algumas perguntas para biólogos e profissionais da área médica: se uma pessoa tem cromossomos

Leia Mais »