James é Luna, para O Washington Post.

O Washington Post referiu-se a um menino como “Luna” em seu artigo sobre a criança. A mãe de James quer fazer a sua transição para menina, e obrigar o pai, que é contra a pagar os custos. Uma vez que processo de custódia é objeto de muita controvérsia, este é mais um exemplo de partidarismo da mídia.

Brinquedos Mattel e a violência psicológica

Leia os artigos originais, completos, aqui e aqui. A fabricante de brinquedos Mattel lançou uma linha de 29 bonecas para crianças que, segundo a empresa, não desejam que seus “brinquedos sejam ditados pelas normas de gênero”. E continua: “Os brinquedos são um reflexo da cultura e como o mundo continua a comemorar o impacto positivo […]

Doença mental e assassinato em massa

O FBI descobriu que 70% dos atiradores tinham ‘estressores’ ou ‘comportamentos preocupantes’ antes do ataque. Por E. Fuller Torrey. Leia o artigo completo no The Wall Street Journal. Qual o papel da doença mental nos assassinatos em massa? Vários estudos, realizados entre 2000 e 2015, sugerem que cerca de um terço dos assassinos em massa tem […]

O Prestígio de Epstein nas Elites de Nova York

Sua escolha de valores determina sua vida. O título original deste artigo faz essa relação (mesmo tendo sido escrito antes das consequências para Epstein): Não procure Deus nas selfies de Epstein: tudo se resume a quem tinha prestígio nos círculos da elite de Nova York. Por Terry Mattingly. Leia o original em Get Religion. Com […]