Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A Associação Psicanalítica dá permissão aos seus membros para quebrarem o código, comentarem sobre a saúde mental do Trump

A Associação Americana de Psicanálise (não deve ser confundida com a muito maior Associação Psiquiátrica Americana) já teria dado permissão a seus membros para que quebrem a longa data “Regra Goldwater” *, que tradicionalmente dissuade os psiquiatras de comentarem o estado mental de figuras públicas.

De acordo STAT News, o comitê executivo da associação fez o anúncio por meio de um e-mail, no início deste mês, ao seus 3.500 membros.
O estabelecimento cita o psiquiatra de Chicago, Dr. Prudence Gourguechon, ex-presidente da Associação Psicanalítica Americana, indicando que “o impulso pelo e-mail foi a ‘crença no valor do conhecimento psicanalítico para explicar o comportamento humano.'” E “Nós não queremos proibir os membros de usarem seus conhecimentos de forma responsável”.
Gourguechon teria argumentado: “Isto é especialmente relevante, já que o comportamento de Trump é tão diferente de tudo que já vimos antes [em um presidente].”
No período que antecedeu a decisão da associação de reduzir a Regra Goldwater, STAT News informa que muitos profissionais de saúde mental protestaram contra isso.
“Um número crescente de psicólogos e psiquiatras têm denunciado a restrição como uma ‘lei da mordaça’ e a desprezaram, com alguns argumentando que eles têm o ‘dever de avisar’ o público sobre o que eles vêem como o narcisismo, a impulsividade, a falta de atenção, a paranóia  de Trump, e outras características que eles acreditam que compromete a sua capacidade de liderar”.
 Além disso, em março, a Associação Psiquiátrica Americana lançou a confirmação da sua decisão de ficar ao lado da Regra Goldwater, argumentando que “quando um psiquiatra comenta sobre o comportamento, sintomas, diagnóstico, etc. de uma figura pública sem consentimento, esse psiquiatra violou o princípio de que as avaliações psiquiátricas são realizada com o consentimento ou autorização.”
Além disso, a associação declarou, “quando psiquiatras oferecem opiniões médicas sobre um indivíduo que eles não examinaram, eles têm o potencial de estigmatizar as pessoas com doença mental.”
A Associação Psiquiátrica Americana, que é diferente da Associação Psicanalítica Americana, atualmente aparece apoiando a Regra Goldwater apesar da última retroceder disso.
À luz das muitas questões de longa data que a Regra Goldwater tem evitados, tradicionalmente, muitas pessoas online – particularmente apoiadores de Trump – parecem críticos da decisão da Associação Psicanalítica Americana de retroceder da decisão.

* A regra Goldwater é o nome informal dado à a Seção 7 dos Princípios de Ética Médica da Associação Psiquiátrica Americana (APA) , [1], que afirma que é antiético os psiquiatras fornecerem um feedback profissional de figuras públicas que eles não tenham examinado em pessoa, e de quem não tenham obtido o consentimento para discutir a sua saúde mental em declarações públicas. [2] Tem o nome do candidato presidencial Barry Goldwater.

 

Fonte:
star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.